Quarto de bebê clássico e masculino

Chegamos na reta final da preparação para a chegada do nosso Lucca e é com muita alegria que divido com vocês o resultado de tudo o que aprontei para recebê-lo em um cantinho onde cada detalhe foi pensado com muito amor e cuidado. Preparem-se para muita delicadeza, fofura e sofisticação!

Continuar lendo “Quarto de bebê clássico e masculino”

Dicas e ideias para um chá de bebê simples, bonito e econômico

Fazer ou não fazer o chá de bebê é uma dúvida que ocupa o pensamento de muitas grávidas. O ponto que mais influencia o resultado dessa decisão é o custo benefício. Estou me referindo a quanto se gasta em comparação ao que se ganha, mas também à disposição da mamãe em dedicar seu tempo e energia à organização do evento.

Confesso que, levando em consideração esses dois pontos, estava bem decidida a pular essa parte na segunda gravidez. Primeiro, porque acho que para um chá de beber compensar todo o dispêndio financeiro, ele precisa ser bem simples e eu devo confessar que tenho a maior dificuldade com isso. Segundo, porque essa gravidez tem me deixado muito cansada desde o segundo trimestre e eu conclui que não teria energia para outro chá como o de Marina.

Acontece que o tempo foi passando, fui sendo questionada pelas amigas quando seria nossa reunião, foi batendo aquela nostalgia antecipada sobre o tempo em que eu estaria longe das best friends durante o puerpério e rapidamente já tinha mudado de ideia rsrsrs….

Lá fui eu, de última hora, pensar em lista de convidados, comidinhas, docinhos, bolo, lembrancinhas e decoração. Acontece que, dessa vez, prometi que seria tudo muito simples e econômico, sem fugir da ideia de um evento bonito e agradável.

Para manter esse conceito, adotei algumas medidas, que agora divido aqui com vocês.

  1. Lista de convidados reduzida – sei que essa é a parte mais difícil para muitas pessoas, por isso é preciso adotar algum critério para elaborar a lista. Neste caso, resolvi convidar apenas as amigas da época da escola e faculdade e alguns poucos familiares. Considerei convidar as pessoas mais presentes em minha vida, com faixa etária e ideias parecidas, já que eu queria acomodar todas numa única mesa, de forma que a conversa pudesse fluir na mesma sintonia. No caso, até deixei de convidar algumas pessoas bem queridas, mas fiz questão de me encontrar com cada uma delas em outra ocasião, para um café ou almoço. E cada um desses encontros também foram momentos de muito carinho, boa conversa e muitas risadas.IMG_8522
  2. Não gastar com o local do evento – decidi fazer a reunião em casa mesmo. Moro numa casa relativamente grande com uma boa área externa, o que me permite acomodar bem um grupo razoavelmente pequeno, no caso 20 pessoas. Além do mais, um local menor possibilita que se economize também com a decoração.
  3. Ser criativo e fazer a decoração com as próprias mãos – seguir esse conselho é mais fácil do que se imagina. Eu confesso que meu forte não é a criatividade, mas sei vasculhar bem a internet em busca de inspiração. Acho que bom gosto é suficiente. Então, eu vou buscando ideias para cada coisa (lembrancinhas, bolo, convite, etc…), vou salvando tudo e depois filtro o que é realmente possível fazer sozinha. Também procuro usar o que já tenho em casa para não ter despesas com a compra ou locação de peças. No caso, usei bandejas, pratinhos que já tenho em casa, além de brinquedos e o porta retrato do quartinho do Lucca. Também decorei, eu mesma, os copinhos de brigadeiro e de salada de frutas.
  4. Evite papelaria e serviços de gráfica para personalizados – é certo que toda festinha requer um fundo bonito para a mesa principal, mas você não precisa necessariamente gastar com um painel enorme e personalizado, que depois irá parar no lixo. Existem inúmeras possibilidades mais bonitas, econômicas e criativas. Esse é o caso do varal de roupinhas de bebê que usei no chá do Lucca. Também não entre na moda dos scraps personalizados, eles podem pesar muito em seu orçamento e já é possível encontrar no mercado papelaria pronta nos temas e cores da festa, como caixinhas para doces e tags para lembrancinhas, como as que usei na mesa. Em relação ao convite, eu sugiro que você esqueça o papel e elabore um virtual, que pode ser encaminhado por Whats App ou e-mail. Para isso, existem inúmeras plataformas que permitem fazer convites digitais com rapidez e facilidade mesmo que você não tenha experiência. É o caso do Photor, por exemplo.Convite chá do Lucca - opção 1
  5. Não contrate buffet e pessoal para servir – adote um cardápio de comidinhas fáceis, que você mesma possa fazer em casa, que permitam auto-serviço pelos convidados e que possam ser servidas frias. É claro que algumas coisinhas podem ser encomendadas, afinal, existem pratos que necessitam de um trabalho especializado, como é o caso do bolo decorado, dos docinhos e salgados, e também ninguém precisa se desgastar na cozinha para economizar alguns reais. Aqui, adotei a seguinte ideia: encomendei bolo, biscoitos decorados, docinhos gourmet, salgados fritos e folheados, pão de queijo, torradinhas e patês,  mas fiz em casa uma torta fria de atum, mais um patê, brigadeiro de colher e sucos e montei uma tábua de frios. Optei pela mesa posta decorada com minha própria louça e talheres, além de guardanapos finos, mas descartáveis, com uma proposta lindinha que eu mesma idealizei com um papel rendado.
  6. Não contrate fotógrafo – Quem me conhece um pouco mais sabe o quanto eu amo fotografia. Sabe inclusive que sou chata, criteriosa e adoro uma foto com luz e ângulos prefeitos. Mas, neste caso, seria total contra-senso pagar por um serviço de fotógrafo profissional. Então, me vali do maridão, que seguiu todas as minhas orientações, é claro, e de umas amigas queridas que fazem fotos muito bem. Todo mundo tem alguém com esse dote no grupo de amizades. Não custa nada pedir essa ajudinha.IMG_E8506

Então, gravidinhas, essas são as minhas dicas para você conseguir fazer um chá de bebê dentro dos critérios de simplicidade, economia e beleza. Se eu consegui, você também consegue! Só não se esquece de me contar como foi a experiência.

Até mais!

 

 

Enxoval no exterior em tempos de dólar elevado. Vale a pena?

Em tempos de cotação do dólar nas alturas, sempre surge aquela dúvida: ainda vale a pena comprar o enxoval do bebê no exterior?

Essa é uma pergunta recorrente entre os pais que se preparam para a chegada do bebê. Como estou exatamente nessa fase e vivi recentemente (junho de 2018) a experiência da compra no exterior, decidi deixar aqui minha opinião sobre o assunto. Assim, espero poder ajudar às famílias que vivem o dilema. Continuar lendo “Enxoval no exterior em tempos de dólar elevado. Vale a pena?”

Por que ter o segundo filho?

Há, pelo menos, três décadas, essa pergunta até poderia parecer descabida, pois era certo que os casais desejavam ter vários filhos, constituir uma família numerosa. A ideia de casa cheia era muito bem vinda. Continuar lendo “Por que ter o segundo filho?”

Como venci a diástase!

diastase2-e1506084396501

A palavra da vez é DIÁSTASE. Aquela que ganhou a atenção da mídia logo após a Sandy ter parido. Alguém ai já ouviu falar nela? Já leu, conversou com uma amiga ou recebeu orientação adequada sobre como evitá-la? Continuar lendo “Como venci a diástase!”

Tem criança na cozinha fazendo pão de banana

IMG_1160

Já é consenso que as crianças devem ter acesso a alimentos saudáveis e nutritivos. A hora do lanche não deve ser exceção a essa regra de saúde.

Continuar lendo “Tem criança na cozinha fazendo pão de banana”

Livre demanda – o que não nos contam

f53c0e2s3v0j5im5ei2uup73a

A primeira vez que ouvi a expressão livre demanda foi no consultório pediátrico, um mês após o nascimento da minha filha. O médico foi sucinto ao dizer que eu deveria manter o aleitamento em livre demanda, sem mais pormenores. Eu encarei aquilo de uma forma tão natural que, se quer, cogitei levantar algum questionamento. Para mim, a expressão era auto-explicativa. Eu amentaria minha filha sempre que ela sentisse fome. Simples assim. Continuar lendo “Livre demanda – o que não nos contam”

Sobre viajar com crianças!

SRILANKA-ECONOMY-TOURISM

Já é quase meio do ano, época de férias escolares e muitas famílias costumam programar viagens. Então, é o momento certo para dividir com vocês um pouco da minha experiência de viagens com criança. Um assunto que costuma deixar as famílias ansiosas e com muitas dúvidas.

Realmente, não é uma tarefa fácil realizar uma viagem com crianças. Também não se trata de missão impossível. Você só precisa de um pouco mais de planejamento e uma dose extra de paciência.

Continuar lendo “Sobre viajar com crianças!”

O cantinho do castigo educa?

cantinho-do-pensamento-doutissima-istock-getty-images1

Nós pais estamos sempre buscando o melhor caminho para educar e cuidar dos nossos filhos, queremos acertar o tempo todo. Mas já deu para perceber que não é fácil atingir essa meta, porque não existe receita mágica, uma fórmula pronta a ser seguida, especialmente no que diz respeito à educação. Ainda assim, seguimos buscando métodos e maneiras para ser infalíveis educadores e garantir que nossos filhos se tornem crianças admiráveis embora, algumas vezes, o tamanho da birra, pirraça ou malcriação nos deixe completamente perdidos. Continuar lendo “O cantinho do castigo educa?”

Engasgo infantil – alimentos potencialmente perigosos

crianca-pipoca

Passada a euforia do carnaval, o ano realmente começa e eu gostaria de inciá-lo tratando de um tema sério que não pode ser deixado de lado. Estou me referindo aos engasgos em crianças.

Recentemente, um relato emocionante de uma mãe sobre o engasgo da sua filha com amendoim viralizou na internet (veja aqui!), o que me fez acender uma enorme luz de alerta sobre o assunto. Continuar lendo “Engasgo infantil – alimentos potencialmente perigosos”